segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

O CÉU COMO TESTEMUNHA

A beleza faz de conta que se esconde, e por definitiva se confunde diante de nossos olhos, é proposital, porque diante de tanta perfeição se torna impossível qualquer definição para tamanha candura.Vejo através de olhos negros, todo o azul da vida,azul do céu,azul do mar. Azul de um espelho refletindo definições e beldades, num só corpo de mulher que toda majestosa inspira trechos de poesias.Bela como nunca, ela se expõe de maneira absoluta suas atribuições e suas perfeições com movimentos leves.Pé ante pé ela caminha em minha direção, parece sim uma rainha, coberta de azul celeste, a sua frente tudo se abre e muitos se curvam, não para ignorar, mas para dar passagem e congratulações a este corpo de mulher que enaltece qualquer ambiente que precise de luz.Seu corpo agora é de bailarina que ensaia, passos simultâneos e corriqueiros, Seus gestos são suaves e disfarçadamente atribui desejos escondidos que se misturam a necessidade de amar.Ela é linda como alvorecer, com traços de menina se cobriu de azul celeste e vagueia por ai machucando corações e espantando solidões.Corpos se atraem, desejos se manifestam e sonhos adoecem, sob o olhar forte da eterna inquietude que inspira vontades.Possessivos e abstratos, nossos corações permanecem acelerados, com batimentos fortes  cometendo a hipérbole de acreditar que talvez quem sabe... um dia,sei lá...não custa nada sonhar.